terça-feira, maio 16, 2006

    As escolhas de Scolari

    Começo desde já por dizer que sempre gostei de Scolari. É frontal, determinado e com grande poder de chefia sem ser ditador. Talvez por isso tenha granjeado muitos inimigos (bem identificados, por sinal), que têm em si o efeito contrário ao desejado. As críticas e tentativas de pressão dão-lhe mais força e determinação para pôr em prática as suas ideias e não arreda pé das suas convicções.

    Porque esta é das tais coisas. Quando um seleccionador/treinador ganha é levado em ombros em grandes manifestações de júbilo e homenagem, quando perde é apredejado em praça pública. É por isso extremamente difícil ser-se treinador em Portugal, e muito mais difícil será ser seleccionador. Porque um seleccionador mexe com clubismos e clubites - é impossível por mais que se tente ser-se imparcial, até na Seleccção e porque quem selecciona como que trai as nossas expectativas e preferências por este ou aquele jogador.

    Por isso nunca contesto as suas convocatórias, se bem que questione um pouco o seu critério aqui e ali. Na convocatória de hoje, por exemplo, questiono a insistência em Ricardo e muito mais em Quim, que por via dos poucos - ou quase nenhum - jogos deveria ceder o seu lugar de nº2 a Bruno Vale. E se a experiência conta muito, a boa forma física contará muito mais.

    O caso de Quaresma é discutivel apenas no termo pedagógico da coisa. Afinal vai-se disputar um Europeu de futebol, e a falta de Quaresma sentir-se-ia muito mais nos sub-21 que nos AA. Porque sendo um jogador de qualidade é praticamente insubstituível e a sua ausência seria um rude golpe para o Prof. Agostinho Oliveira.

    No entanto, apesar de ser um critério seu, é obrigatório questionar a escolha de Ricardo Costa. Excepto para os portistas (a clubite existe, não duvidem) foi para todos um balde de água fria, quase uma desilusão.Não gosto de Ricardo Costa como jogador. Não o acho com nível suficiente para substituir Jorge Andrade e penso que a escolher um jogador do Porto escolheria Pedro Emanuel, que até está livre depois de lhe ter sido vedado a inclusão na Selecção de Angola. Se Scolari privilegia a antiguidade, experiência e entrega então teria em Pedro Emanuel a escolha perfeita.

    Não digo que Ricardo Costa não tenha margem de progressão. É muito novo e até pode vir a ser um grande jogador. Por enquanto é um jogador vulgar, sem grande destaque. Teve uma época de altos e baixos, por via da escolha de Adriaanse e a subida de forma e boas prestações de Pepe, e por isso em muitos jogos ficou a aquecer o banco. Adriaanse a partir do momento que ganhou maior confiança em Pepe, simplesmente "ignorou" Ricardo Costa e apesar de o convocar em muitos jogos muito raramente o pôs a jogar.

    Antes da convocatória Scolari fez uma espécie de mea-culpa para antecipadamente justificar a escolha de Ricardo Costa. Scolari vai buscar jogadores aos sub-21 para colmatar as falhas no plantel . Ficámos (nós e todos os jogadores que não jogam nos sub-21) a saber, então que em Portugal quem não jogue em Selecções jovens e não faça parte da trupe de jogadores intocáveis do Scolari, nunca terá hipótese de entrar na Selecção principal (quase me tenta o pensamento de que aquilo quase que é mais um clube privado onde é quase impossível alguém se tornar membro).

    Puxando (sem grande sacrifício, digo-vos já) pelo meu clubismo diria que preferia o Rocha ao Costa, até porque já merecia há muito tempo a oportunidade, a idade já não lhe permite sonhar com muitos mais Mundiais ou Europeus, e também jogou mais minutos, é muito mais possante e não vira a cara à luta.Mas vou mais pela coerência e justiça e digo que a escolha deveria ter recaído em Tonel. Tonel foi um exemplo de regularidade e muito poucas vezes se notou alguma quebra de ritmo ou baixa de forma. Basta ver a estatística em baixo para verificarmos que se foi uma aposta incontestável de Paulo Bento, e notou-se que foi uma boa aposta (apenas nos primeiros jogos ficou no banco tapado pelo execrável e vulgaríssimo Beto) facilmente seria a escolha para o lugar de central. Porquê então Scolari não apostou nele? Porque não jogou nem joga nos sub-21.

    É por isso então que Scolari não necessita de ver os jogos ao vivo (não são só os do Porto). Já todos ficámos a saber o critério utilizado. Não querendo sofrer já por antecipação, espero que se Portugal fôr precocemente afastado que seja por erros colectivos e não por erros específicos da defesa escolhida a dedo por Scolari.

    RICARDO COSTA

    Nº de jogos - 32 ; Titular - 16 ; Suplente nao utilizado - 13 ; Suplente utilizado - 3 ; Não convocado - 2 ; Maior número de jogos seguidos como titular - 7 (desde a 1ª à 7ª jornada) ; Total de minutos de jogo - 1539

    RICARDO ROCHA

    Nº de jogos - 30 ; Titular - 16 ; Suplente nao utilizado- 4 ; Suplente utilizado - 10 ; Não convocado - 4 ; Maior número de jogos seguidos como titular - 2 ; Total de minutos de jogo - 1644

    TONEL

    Nº de jogos - 30 ; Titular - 28 ; Suplente nao utilizado- 0 (zero) ; Suplente utilizado - 2 ; Não convocado - 4 ; Maior número de jogos seguidos como titular - 23 (desde a 12ª à 34ª jornada) ; Total de minutos de jogo - 2587 ;

1 Comments:

Blogger Superman Torras said...

Eu por principio também sou a favor do Scolari.

Especialmente porque dou muito valor ao cortar do cortão umbilical que prendia, estupidamente, as escolhas dos antigos seleccionadores nacionais a certos poderes instalados no futebol português.

Hoje em dia, e pese não desconhecer que há quem levante suspeitas acerca de alguns dos nomes escolhidos pelo treinador brasileiro e a ligação destes jogadores a um ou outro empresário, tenho para mim que se rebobinarmos o filme e passarmos a visualizar as tristes fitas assistidas no último Mundial e, sobretudo, o tipo de jogos subterrâneos que levavam a certas e determinadas convocatórias no período pré-Scolari então só podemos estar agradecidos a todo o trabalho desenvolvido pelo Sargentão desde que pegou na nossa selecção.

Claro que não concordo com todas as suas escolhas mas se ele (continuar a) apresentar resultados, tenho mais é que meter a viola no saco e ir pregar para outra freguesia. Como para já os resultados ainda não existem, até porque o Mundial ainda não começou (esta tá boa), cá vão as minhas principais discordâncias perante a convocatória divulgada ontem:

1º A aposta incessante em Ricardo mesmo quando este passou por períodos menos bons de forma, amplamente demonstrados ao serviço do seu clube. Neste momento e perante os outros GR's escolhidos temo que se por algum motivo o nº1 do SCP tiver algum problema, Portugal ficará em maus lençóis. Quim, que teve uma 2ª volta de Campeonato para esquecer e Bruno Vale que apesar dos bons índicios dificilmente pode ser considerado um jogador preparado para defender a baliza de uma selecção numa competição como o Mundial, não são quanto a mim as escolhas óbvias. Paulo Santos poderia e deveria ter sido chamado.

2º A chamada de Nuno Valente, que após o Euro 2004 nunca mais atingiu o rendimento que se lhe conheceu no FCP campeão europeu, já é mau prenuncio suficiente mas se lhe juntarmos um Caneira como opção subsequente então facilmente entendemos o porquê de um Miguelito por exemplo se poder sentir injustiçado por nunca ter tido oportunidade de demonstrar se na Selecção conseguiria atingir as mesmas prestações reveladas primeiro no Rio Ave e agora no Nacional da Madeira. Ah, e este tem aquele pormenor de ser...esquerdino e jogar como lateral há vários anos. Caneira poderia ser entendido como um polivalente útil para uma convocatória de 23 elementos mas tendo em conta as debilidades de Valente e a ausência de outro jogador capaz de fazer o lugar, então o mais certo é que seja ele o lateral esquerdo de Portugal na Alemanha. A consistência defensiva estará relativamente assegurada (dependendo do jogador que lhe aparecer à frente) mas quanto ao apoio ofensivo a prestar ao colega que jogar na ala esquerda de Portugal estamos conversados.

3º Ricardo Costa. Por muito que pense não consigo encontrar justificação para esta chamada. Nem em termos meramente futebolisticos e muito menos em termos disciplinares, portanto considero ser uma situação que me ultrapassa. Tonel, mais, e Ricardo Rocha, menos, têm razões para lamentar a sua sorte.

4º Costinha. Neste caso compreendo a convocatória, mas entenderei menos bem se lhe for dada a titularidade no 1º jogo. Percebe-se facilmente que Costinha, juntamente com Figo e Pauleta, é parte fundamental do balneário de Scolari e portanto seria sempre chamado, aliás se mesmo sem clube o foi, imagine-se se tivesse feito uma época em condições. O substituto natural deverá ser Petit até porque as outras opções, por exemplo Deco, Maniche e Tiago, ou só Deco e Tiago, não garantem à partida a consistência defensiva tão do agrado de Scolari. Aqui neste caso, e se bem que possamos juntar Hugo Viana ao lote, quem se deve considerar injustiçado é João Moutinho, uma das boas figuras do campeonato português 2005/06.

5º + 6º: aqui incluo as ausências de João Tomás e Quaresma. Considero que ambos deveriam ter naturais esperanças em serem chamados mas Postiga por um lado e Boa Morte por outro levaram a melhor nas escolhas de Scolari. Aceito que há quem defenda que a dita magia (agora já não é o Deco, o epíteto mudou de destinatário, coisas de uma mass-media facilmente manipulada) de Quaresma poderia vir a ser útil em alguns jogos do Mundial mas pergunto qual o tipo de ambiente criado por um jogador que, além de raramente ter sido chamado em ocasiões anteriores, continua a revelar uma preocupante tendência para entrar em guerras que não deveriam ser as suas e que por essa via deverá ter criado alguns anti-corpos na Familia Scolari. Quanto a Tomás, bem o avançado bracarense é um jogador como há poucos em Portugal e não será certamente Helder Postiga que vai fazer as suas vezes, portanto trata-se claramente de uma opção de grupo e de titularidade previamente garantida a Pauleta já que o açoriano é o único ponta de lança puro nos 23. Nuno Gomes (e Portugal quiçá) terá que aguardar pacientemente que aconteça uma de duas coisas: ou que Pauleta desate a marcar golos contra adversários que não sejam oriundos da antiga U.R.S.S. ou que se lesione.

Termino este longo comentário com a equipa que para mim, e tendo em conta a convocatória ontem conhecida, deveria entrar de inicio no 1º jogo do Mundial:

Ricardo, Miguel, Meira, Carvalho, Caneira; Petit, Deco, Tiago; Ronaldo, Figo, Nuno Gomes.

3:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Cell Phone

Powered by Blogger